quinta-feira, 18 de dezembro de 2014



1- Por que as crianças, adolescentes, jovens e idosos do campo, têm o direito à educação no lugar onde vivem, tendo acesso aos conhecimentos produzidos socialmente pela humanidade. 

2- Por que os povos do campo têm o direito à escola com as condições físicas e pedagógicas adequadas. Cabe aos gestores públicos garantir uma escola de qualidade. 

3- Por que a escola do campo valoriza a história, o jeito de viver e produzir a vida pelos trabalhadores do campo e desenvolve o ensino partindo desta realidade e tem como referência valores como o cuidado com a terra e com a vida.

4- Por que numa escola do campo, próxima às casas dos camponeses e agricultura familiar, os pais podem acompanhar a educação dos seus filhos(as), participando das reuniões, assembleias e das atividades festivas, propondo e definindo o futuro da educação. 

5- Por que estudar próximo da residência diminui a evasão escolar e o transporte em grandes distâncias, com estradas ruins, submete os estudantes a situações de risco.

6- Por que a escola do campo, faz parte da comunidade camponesa tornando-se num espaço de encontro das gerações.

7- Por que a qualidade da aprendizagem passa por um bom acompanhamento aos educandos(as), possibilitando trabalhar as dificuldades e as necessidades de aprendizagem de todos e de cada um.

8- Por que nas escolas da cidade, os estudantes do campo perdem a referência de comunidade e identidade do campo, são inseridos numa cultura, que considera o campo lugar do atraso, sentindo-se desmotivados pela distância e discriminados. 

9- Por que a super lotação de salas de aula/escolas, dificultam a aprendizagem e as relações de convivência. Dificultar o acesso é negar o direito à aprendizagem.

10- Por lei, mesmo as escolas do campo com poucos estudantes são viáveis mediante outras formas de organização: agrupamentos por idades, em dias inteiros e alternados, por disciplinas durante todo o dia etc.

Não permitamos o fechamento de escola no campo, 
fechar escola é crime é negar o direito de viver no campo!

Articulação Paranaense Por uma Educação do Campo
ARCAFAR SUL, ASSESOAR, APP SINDICATO, CPT, CEMPO, FETAEP, FETRAF SUL, IFPR , NUPECAMP, MAB, MMC, MPA, MST, Rede Puxirão, UEL, UEM, UEPG, UENP, 
UFFS, UFPR, UTFPR, UNICENTRO, UNIOESTE, UNESPAR, VIA CAMPESINA BRASIL

Nenhum comentário:

Postar um comentário